...ReCitando XII...

sábado, 8 de fevereiro de 2014
~§~
De tuas noites frias
soprais

gélido hálito
em minha face
ondas a pele
a cena de teu rio.
Sena.
...
Teu continuo caminho,
frescas águas
em minha mente
para sempre.
Vem e se vão
o fluxo,
embarcação.
...
A tú
que não espelhas nosso céu
em tuas limpas nuvens
aconchego
de que desfrutas teu Sol.
Ele que logo se vai
em teus dias
sonolentos.
...
Desta luz da ponte
entre o olhar da Lua
que se espelha cidade.
Teus pontos iluminados
visitantes
a nossos olhares.
Radiantes
conosco em tua visão,
carros, janelas e telhados.
...
Reluzes a beleza
em dourados traços
Impávidos monumentos
Desta tela viva

as margens do Sena.
Tela esta
tua margem e moldura
obra de grandeza
aos tempos,
resquícios da realeza.
~§~
JJr.