...é uma outra história X...

sábado, 28 de março de 2015
O Grande Leão Alado era o único que podia abrir aquela porta,
ela se modificava de tempos em tempos até seu novo dono.
Existia uma regra;
depois de algum tempo o dono escolheria um dos tesouros secretos
e seguiria seu caminho
deixando as portas e todo o tesouro contido nas cavernas sagradas
para um próximo escolhido.
Não se sabia ao certo como ou quando apareceria um novo escolhido
ou porque aquele seria o escolhido,
mas era assim que tudo funcionava.
Diziam que estas portas secretas estavam espalhadas
por todos os lugares do mundo
e por este motivo muitos ladrões espreitavam-as a procura de seus donos.
Estes lugares eram secretos e de difíceis acessos
porém uma coisa muito simples para os escolhidos.

As palavras secretas e a pata do
Grande Leão Alado
eram sua chave.

Nunca acontecera e nem aconteceria de um ladrão entrar
por aquelas portas,
eram locais sagrados de natureza viva
que impediam que eles conseguissem entrar.
Durante seus vôos o Grande Leão Alado notara a presença
de uma Grifo Dourada em uma de duas colunas de aparência grega
na entrada de um grande portão.
Era uma guardiã, a guardiã do grande portão dos céus
que mantinha-se sempre fechado.
Ele nunca se perguntara onde aquele caminho depois do portão o levaria
mas sabia que ele era vigiado sempre pela Grifo Dourada
e ela acabara cativando-o.
Ganhara sua afeição por algum motivo.
Estava sempre a cantar com os pássaros que por ali passavam
até que certo dia ele resolvera pousar ao lado da Grifo Dourada na coluna vazia.
Era a primeira vez que prestava atenção aos portões,
eram prateado com floreios dourados que brilhavam
chegando a ofuscar a visão.
Logo a Grifo Dourada levantou-se no topo da coluna.
O que fazes aí?
perguntou ela já posicionando suas asas e garras.

Estou aqui simplesmente por você!
...

Baseado no livro: Ali Babá E Os Quarenta Ladrões 
(Livro das Mil E Uma Noites)  - Antoine Galland.