...Pensantimentos III...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010
§§§
Me apego a lembrança que guardo de cores.
Assim como recém-nascidos
de olhares curiosos, assíduos e fascinados.
§§§
JJr.

---
| Cada tijolo uma gota de suor |
| migrada dos sonhos de nossos alicerceres. |
| Seus sonhos nunca são em vão |
| e da força de sua labuta tudo a sua volta. |
| Da ajuda nem sempre reconhecida mas sempre abençoada. |
-----------------------
JJr.

***
Deleito-me da seiva
que a natureza pode me proporcionar.
Alimento para corpo, mente & alma
purificando a vida continuamente.
Das palavras que se fazem inertes
o pensamento voa anos, eras & décadas.
Imortais as palavras lapidadas. 
*****

JJr.

/§/
Camponesa encantou-me sempre sua beleza.
Cor de trigo em seu campo natural.
Rústica.
De aroma e beleza únicos
pequenas flores silvestres.
Sinto amora, grama e flora.
/§/
JJr.

2 comentários:

  1. imortais preciosidades

    beijos cintilantes menino

  1. Que lindo poema!

    Obrigada pela visita e comentário no onzepalavras, e principalmente pela sua generosidade com o texto.

    Abraço, Ana